Introdução

Chegou a hora de conhecer os estilos/ritmos músicais diferentes! Vamos conhecer e estilos de músicas que não estamos tão acostumados, isso aumenta o nosso conhecimento à respeito do que é a música e como ela é incrível em suas várias formas e contextos.

Público:

Infantil e Fundamental I

Objetivo

Estilos músicais ou ritmos musicais são importantes para entender não só a música como a cultura e história de uma grupo de pessoas, lugar e ideias. Vamos conhecer um pouco mais  de música e aumentar a nossa compreensão?

* No caso das crianças do G4 e G5 é legal a família mostrar vídeos destes ritmos musicais sendo tocados para elas se acostumarem com o som e imagem deles.

 

Materiais

  • Sua percepção musical e de outros;
  • Internet ou YouTube para pesquisar;
  • Caderno e lápis para anotar;
  • Se for desenhar (lápis de cor, canetinhas, giz de cera, lápis de escrever ou caneta);
  • Se for gravar um vídeo, apenas o celular;

Atividade passo a passo

*G4 e G5 é legal o adulto(a) ajudar.

  1. Quais ritmos musicais você conhece?
  2. Quais ritmos musicais você não conhece?
  3. Escolha 3 ritmos musicais que você não conhece e pesquise com pessoas ou no YouTube musicas e artistas destes ritmos;
  4. Escreva em um caderno ou grave um vídeo falando sobre o que encontrou e o que achou destes estilos;
  5. Envie por WhatsApp (11) 9 7951-9149 uma foto de como ficou o seu trabalho, você também pode deixar a atividade na secretaria da escola.

Vídeo aula

 

Os ritmos

Sertanejo: Música sertaneja é um gênero musical do Brasil produzido a partir da década de 1910 por compositores urbanos, rurais e outros chamada genericamente de modas e emboladas cujo som da viola é predominante. O sertanejo é atualmente o mais popular estilo musical no Brasil, superando inclusive o samba, na maioria dos estados do país (especialmente São Paulo, Minas Gerais, Goiás, Rio de Janeiro , Mato Grosso do Sul, Mato Grosso, Rondônia e Tocantins e Paraná).

Funk: O funk carioca,[fɐ̃(ŋ)ki] ou simplesmente funk, é um estilo musical oriundo das favelas do estado do Rio de Janeiro, no Brasil. Apesar do nome, é diferente do funk originário dos Estados Unidos. Isso ocorreu pois, a partir dos anos 1970, começaram a ser realizados bailes, black, soul, shaft ou funk no Rio de Janeiro. Com o tempo, os DJs foram buscando outros ritmos de música negra, mas o nome original permaneceu. O funk carioca tem uma influência direta do miami bass e do freestyle. O termo “baile funk” é usado para se referir a festas em que se toca o funk carioca. Apesar do nome, o funk carioca surgiu e é tocado em todo o estado do Rio de Janeiro e não somente na cidade do Rio de Janeiro, como o gentílico “carioca” leva a crer.

 

Samba: O samba é um gênero musical e dança com origem na cidade brasileira do Rio de Janeiro. A composição Pelo Telefone, de 1916, é considerada o seu marco fundador. O samba deriva de um folguedo com notável influência africana que emergiu na Bahia, o samba de roda, que por sua vez guarda semelhanças com o coco, dança de roda mais antiga surgida na então Capitania de Pernambuco com influências dos batuques africanos e dos bailados indígenas. Apesar de ser, enquanto gênero musical, resultante de estruturas musicais europeias e africanas, foi com os símbolos da cultura negra brasileira que o samba se alastrou pelo território nacional, tornando-se uma das principais manifestações culturais populares do Brasil.

 

MPB: A MPB, sigla derivada da expressão Música Popular Brasileira, é um gênero musical surgido no Brasil em meados da década de 1960. A MPB surgiu a partir de 1966 na cidade do Rio de Janeiro com a segunda geração da bossa nova, mas com uma forte influência do folclore brasileiro que já vinha desde 1932. Na prática, a sigla MPB anunciou uma fusão de dois movimentos musicais até então divergentes, a bossa nova e o engajamento folclórico dos Centros Populares de Cultura da União Nacional dos Estudantes. Os primeiros defendendo a sofisticação musical e os segundos, a fidelidade à música de raiz brasileira. Seus propósitos se misturaram e, com o golpe de 1964, os dois movimentos se tornaram uma frente ampla cultural contra o regime militar, adotando a sigla MPB na sua bandeira de luta.

 

Forró: O Forró é uma festa originária da Região Nordeste do Brasil, bastante popular e comum, especialmente nas festas juninas. O nome da festa forró é usado para nomear distintos gêneros musicais como o xote, baião, arrasta-pé e o xaxado, por isso quem não conhece suas histórias, as confundem com um gênero único. As músicas são executadas tradicionalmente por trios instrumentais com acordeão (“sanfona”), zabumba e triângulo. 

 

Axé: O axé, ou axé music, é um gênero musical que surgiu no estado da Bahia na década de 1980 durante as manifestações populares do Carnaval de Salvador, misturando o ijexá, samba-reggae, frevo, reggae, merengue, forró, samba duro, ritmos do candomblé, pop rock, bem como outros ritmos afro-brasileiros e afro-latinos. No entanto, o termo “axé” é utilizado erroneamente para designar todos os ritmos de raízes africanas ou o estilo de música de qualquer banda ou artista que provém da Bahia.

 

Maracatu: Maracatu é um ritmo musical, dança e ritual de sincretismo religioso com origem no estado brasileiro de Pernambuco. Existem dois tipos, conforme o “baque” ou batida: Maracatu Nação (Baque Virado) e Maracatu Rural (Baque Solto). O primeiro, bastante comum na área metropolitana do Recife, é o mais antigo ritmo afro-brasileiro; e o segundo é característico da cidade de Nazaré da Mata (Zona da Mata Norte de Pernambuco).

 

Frevo: O frevo é um ritmo musical e uma dança brasileira com origem no estado de Pernambuco. Sua música baseia-se na fusão de gêneros como marcha, maxixe, dobrado e polca, e sua dança foi influenciada pela capoeira. Foi declarado Patrimônio Imaterial da Humanidade pela UNESCO no ano de 2012, sob a designação “Frevo: Arte do Espetáculo do Carnaval do Recife”. 

 

Eletrônica: Em música, o termo electronica tem sido utilizado para incluir uma ampla gama de estilos contemporâneos da música eletrônica projetada para uma ampla variedade de usos, incluindo ouvir em primeiro plano, algumas formas de dança e música de fundo para outras atividades, no entanto, ao contrário da música de dança electrónica, não é feita especificamente para a dança. Alguns artistas de IDM tem comumente preferido esta denominação, de fato, o termo pode ser encarado como um nomenclatura mais ampla em relação ao termo intelligent dance music, mais restrito.

 

Hip hop: Hip hop é um gênero musical, com uma subcultura própria, iniciado durante a década de 1970, nas comunidades jamaicanas, latinas e afro-americanas da cidade de Nova Iorque. Afrika Bambaataa, reconhecido como o criador do movimento, estabeleceu quatro pilares essenciais na cultura hip hop: o rap, o DJing, breakdance e o graffiti. Outros elementos incluem a moda hip hop e gírias. 

 

Rap: Rap (em inglês, também conhecido como emceeing) é um discurso rítmico com rimas e poesias, que surgiu no final do século XX entre as comunidades Afro-descendentes nos Estados Unidos. É um dos cinco pilares fundamentais da cultura hip hop, de modo que se chame metonímicamente (e de forma imprecisa) hip hop.

 

Pop: A música pop (em inglês: pop music; um termo que deriva da abreviação de “popular”) é um gênero da música popular que se originou durante a década de 1950 nos Estados Unidos e Reino Unido. Geralmente é visto como sinônimo de “música popular”, embora este termo seja usado para todos os estilos musicais surgidos no povo, em contraponto com a música clássica, feita por uma classe intelectual.

 

Rock: Rock (ou roque) é um termo abrangente que define um gênero musical de música popular que se desenvolveu durante e após a década de 1950. Suas raízes se encontram no rock and roll e no rockabilly que emergiram e se definiram nos Estados Unidos no final dos anos quarenta e início dos cinquenta e que, por sua vez, evoluíram do blues, da música country e do rhythm and blues. Outras influências musicais sobre o rock ainda incluem o folk, o jazz e a música clássica. Todas estas influências foram combinadas em uma estrutura musical simples baseada no blues que era “rápida, dançável e pegajosa”.

 

Reggae: Reggae é um gênero musical desenvolvido originalmente na Jamaica do fim da década de 1960. No Brasil, é um ritmo predominante no estado do Maranhão. Embora por vezes seja usado num sentido mais amplo para se referir à maior parte dos tipos de música jamaicana, o termo reggae indica mais especificamente um tipo particular de música que se originou do desenvolvimento do ska e do rocksteady.

Música clássica: Música clássica, música de concerto ou música erudita é o nome dado à principal variedade de música produzida ou enraizada nas tradições da música secular e litúrgica ocidental. Abrange um período amplo que vai aproximadamente do século IX até o presente[1] e segue cânones preestabelecidos no decorrer da história da música. Apesar do nome que remete a algo do ‘passado’ ou ‘antigo’, esta variedade de música é escrita também nos dias de hoje, através de compositores do século XXI que criam obras inéditas, originais e atuais.

 

 

Conclusão

Ir além dos ritmos musicais que mais conhecemos no Brasil é explorar outras possibilidades, mesmo que não gostemos de outros estilos, saber da sua existência é nos enriquecer de cultura.

Deixe um comentário