Apresentação do folguedo Bumba meu boi, em São Luís, Maranhão. Foto de Rogério Reis, 2008

No Brasil ocorrem celebrações de norte a sul ao longo de todo o ano. essas festividades são um dos elementos mais marcantes da cultura brasileira, pois revelam as influências deixadas pelos diversos povos que aqui passaram.

Quais são os festejos tradicionais da região em que você vive? Você sabe qual é a origem dessas festividades?

Você pode consultar os seus pais, ou a sua família e amigos próximos para ajudar na resposta. registre a resposta no seu caderno e envie a fotografia da resposta para o seu professor de arte.

VAMOS FESTEJAR

Um dos aspectos mais marcantes da cultura de um povo são seus festejos. As festas, religiosas ou profanas (que não são religiosas), revelam aspectos relacionados às crenças, aos valores, à arte e a tantos outros fatores que caracterizam a cultura popular.

Como estudado anteriormente, povos indígenas, europeus e africanos participaram da formação do Brasil, deixando aqui elementos presentes ainda hoje na cultura nacional. Muitos desses elementos se revelam nas festividades que acontecem por todo o país.

Observe a tela reproduzida a seguir. Note que o artista Miltão dos Santos retratou em sua obra um dos festejos mais tradicionais de Pernambuco, seu estado de origem.

Miltão dos Santos, Frevo (2012). Óleo e acrílica sobre tela, 50 x 70 cm. Coleção particular, Estados Unidos.

CONHEÇA UM POUCO MAIS SOBRE O ARTISTA MILTÃO DOS SANTOS

Antônio Miltão dos Santos, ou Militão dos Santos, nasceu em Caruaru, Pernambuco, em 15 de junho de 1956 e é um artista plástico, artesão e poeta brasileiro. Sua pintura retrata universos singulares, de colorido intenso, vibrante e repleto de movimentos. Seus personagens ganham vida própria em cenários tipicamente brasileiros. Após a perda de sua audição aos sete anos, proveniente de menigite, Militão dos Santos aprimorou os demais sentidos. Adotou para si o estilo primitivo moderno e fez arte de tal forma a elevar a percepção de cotidianos populares que, por muitas vezes, passam despercebidos.

Antônio Miltão dos Santos. Artista Visual, arte naïf.

Miltão é um exemplo exato da valorização do sentido visual. Para minimizar a deficiência, a família o transferiu para o Rio de janeiro, em 1970, para que se matriculasse no Instituto Nacional de Educação de Surdos. No INES, ele não só aprendeu as linguagens labial e de sinais (LIBRAS) como pôde desenvolver a sua inclinação para a pintura em aulas com o artista plástico Rubens Fortes Bustamente (já falecido), que lhe transmitiu a ideia de composição e cores.

    Sua participação no universo e mercado da arte iniciou-se no Rio de Janeiro, participando do grupo que expõe na feira de arte da praça General Ozório, em Ipanema, tendo sua produção adquirida semanalmente pelos turistas. Já em 1982 passou uma temporada entre Uruguai, Argentina e Paraguai, retornando ao Brasil em 1986. Em 1990, retorna para Recife, onde passa a morar dedicando-se cada vez mais a pintura. Atualmente Miltão tem um vasto acervo de produções artísticas que retratam o cotidiano da cultura popular brasileira que estão em diversas galerias de arte pelo Brasil e pelo exterior como Zurique (Suíça) e Miami (Estados Unidos).

ATIVIDADES

OBSERVE A CENA REPRESENTADA NESTA OBRA, COPIE AS QUESTÕES E RESPONDA-AS A SEGUIR NO CADERNO.

1 – Que festividade o artista retratou?

2 – Que elementos da pintura estão em primeiro plano? E, ao fundo, que elementos são retratados?

3 – A obra faz você lembrar de alguma música? Qual? Converse com as pessoas da sua casa a respeito disso, e em seguida, registre no caderno a sua resposta.

4 – No caderno de desenho, retrate alguma festividade que acontece no bairro ou comunidade onde você mora utilizando os seguintes materiais para desenho: lápis de cor, lápis preto, caderno de desenho ou folha sulfite ou canson, fita crepe (para fazer a margem do desenho e depois tirar com cuidado a fita da folha para não rasgar ao término da atividade).

Deixe um comentário